Porque cada vez mais a SAF fica mais popular no futebol brasileiro

A SAF se tornou a tendência do momento na área de gestão de futebol. A preocupação dos clubes com a gestão financeira e trabalhista, bem como a qualidade dos atletas está piorando, então a SAF tornou o negócio do futebol mais produtivo.

 

Geralmente ela começa a destacar em clubes que estão em baixa, devido a diversos motivos ligados a gestões ineficientes ou brigas internas de administração. Mas vamos com calma… Como já dizia o poeta, vamos começar do começo…

 

O que é a SAF?

 

A SAF é a Sociedade Anônima do Futebol, uma empresa que foi criada para gerenciar o futebol profissional no Brasil. A ideia era criar uma entidade que pudesse coordenar as atividades do futebol brasileiro de forma mais eficiente, sem os problemas que vinham sendo enfrentados pelas federações estaduais. 

 

A partir daí, a SAF passou a ser responsável pelo gerenciamento dos campeonatos profissionais do futebol brasileiro, incluindo o Campeonato Brasileiro, além de outras competições menores. A empresa também é dona dos direitos televisivos do futebol brasileiro e tem parcerias com diversas empresas ligadas ao esporte, como patrocinadoras e fornecedoras de materiais esportivos.

 

Como a SAF funciona nos clubes brasileiros?

 

Como você já sabe, a SAF é uma empresa que fornece tecnologia, conhecimento e investimento financeiro para o futebol brasileiro. Ela foi criada em 2007 e desde então, a cada ano, tem aumentado sua popularidade nos clubes brasileiros. 

 

Como um objetivo mais empresarial e focado em retorno sobre investimento, toda a sua estrutura em clubes brasileiro, oferecem um sistema de gerenciamento de dados para os clubes, que inclui tudo, desde a gestão de jogadores até a análise de estatísticas. Além disso, a SAF também oferece uma plataforma online para que os torcedores possam acompanhar o dia a dia dos seus times favoritos.

 

O investimento da SAF no futebol brasileiro pode ser de diferentes formas, mas em sua maioria, eles adquirem grande porcentagem (se não for 100%) do esporte e monta sua equipe e sua estrutura através do capital injetado. 

 

A diretoria atual irá auxiliar nesse processo, mas a sua função, a partir deste momento, será a gestão de clube, onde ela focará em melhoria de patrimônio, esportes amadores, entre outras opções.

 

Em resumo, os dois lados trabalharão para a marca do clube, gerando interesse e investimentos financeiros para o time (não só do futebol).

Mas a SAF é o caminho para os clubes brasileiros?

 

É o que está aparentando, mas cada caso é uma realidade. Para que possamos ter uma ideia, com a SAF, os clubes têm acesso a mais capital para investir em jogadores e infraestrutura, o que pode levar a melhores resultados no campo. 

 

Além disso, com a SAF, os clubes não são obrigados a vender seus jogadores mais valiosos para equilibrar as finanças, o que pode ser uma grande vantagem na liga brasileira. No entanto, a SAF também tem alguns riscos. O principal risco é que os donos da SAF podem tomar decisões impopulares, como demitir o treinador ou jogadores que são muito importantes para as torcidas (como foi exemplo do Goleiro Fábio no Cruzeiro, ídolo do clube de foi demitido no início deste ano. Hoje ele defende as cores do Fluminense). 

 

De acordo com o site Esporte Interativo, o Atlético-MG já se articulou com a SAF para tentar contratar jogadores da Europa, e também manter os atuais. Outros clubes estão fazendo o mesmo, sendo assim, é muito provável que a SAF esteja chegando com força total à liga brasileira. O principal objetivo dessas empresas é aumentar a arrecadação dos clubes e gerar um retorno financeiro maior enquanto os clubes

 

E o que os torcedores acham da SAF no Futebol?

 

O que os torcedores esperam é que a SAF consiga mudar o “status quo” do futebol brasileiro e torná-lo um esporte mais justo e democrático para todos. Como é o caso de Pedro Amorim, ele trabalha em uma empresa de marketing digital no Rio de Janeiro e é um torcedor apaixonado pelo Vasco da Gama.

 

Para ele, a ineficiência de diretorias passadas e a incompetência da atual, mostra que um clube empresa pode dar um pouco mais de organização e dignidade. Algo que para o Vasco, segundo ele, está difícil de encontrar a anos e completa dizendo: “Não digo que é a melhor solução, mas das apresentadas, com certeza é a melhor”.

 

Mas temos o outro lado também. Para Rafael Del Giudice, empresário de restaurante e vascaíno, a SAF no Futebol é algo ruim, pois tira a independência do clube para tomar decisões. De acordo com o torcedor, a empresa focada em lucro não traz resultados.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.